Sobre a blogueira

alguma coisa nova

 

Quando pedem para que eu explique quem sou, sempre travo.
Mas quer saber de uma coisa? Hoje eu sou exatamente quem eu queria ser!
É, isso mesmo!
Durante a infância, eu era o que minha mãe queria que eu fosse. Normal né?!
Morava em cidade pequena (Ervália – MG), estudava em escola pública, desenhava roupinhas e pedia a minha avó para costurar para minhas bonecas.
Já na adolescência, eu era exatamente o que não sou hoje. Morava em Viçosa – MG, onde estudei, trabalhei, morei sozinha, morei com amigas, massssss, não vivi a minha vida. Na adolescência deixei de lado meus sonhos, e acabei vivendo a vida dos outros. Eu não era eu, sabe? Eu era o que as pessoas queriam que eu fosse!
É engraçado como a vida muda! Os melhores amigos da infância e adolescência mudam, o modo de ver a vida muda, e a minha vida mudou tanto, que quando penso no passado nem me reconheço. E quer saber mais? Que sorte a minha!
Tenho 22 anos de teimosia, 2 irmãs e 1 irmãozinho, sagitariana, independente, nasci morena por um erro (mas nada que um pó descolorante não dê jeito),  moro em Niterói- RJ (onde aprendi a amar o mar), respiro saudade de Minas Gerais e de toda a minha família e amigos que ficaram por lá, sou estudante de moda e formada em fotografia (pela Sociedade Fluminense de Fotografia), praticante assídua do “jogo do contente” (quem leu Pollyanna sabe do que estou falando… quem não leu: leia já).
Apaixonada por tudo o que faz sorrir, e claro… por doce! hahahah
Ahhhhhhh, antes que eu me esqueça, uma coisa muito importante sobre mim: odeio mimimi!

 

Mineira de nascença, carioca por opção.
Sofre mais por causa do seu time do que por amor.
Se recusa a ser infeliz e deixa uma legião de recalcadas boquiabertas.
Por ser amarga, a única doçura em seu corpo é o perfume com cheirinho de chiclete.
Nunca participou de uma olimpíada, mas corre atrás dos seus sonhos como nunca vi igual.
É daqueles que é motivada com um simples “você não vai conseguir fazer isso”.
O céu é o limite quando estamos falando de Carolina.
Incapaz de decidir se ama ou odeia algo, ela escolhe fazer os dois.
E como diz na música: “Carolina é uma menina bem difícil de esquecer”, então nem tente!
Por: Yasmin Lana 

 

 

 

Conheci a Carol em uma entrevista de emprego e ela me desafiou a vender um carro sem o banco do motorista. Fiquei irritadíssimo porque eu fiz de tudo para convencer e ela riu da minha cara. Ela é assim.
Carol é o tipo de pessoa que te desafia, te tira do sério, te coloca pra pensar.
Carol ri da sua cara quando você está falando que levou o maior pé na bunda. Carol é aquela que te envia um cartão pelo correio mesmo sabendo que vai te ver no dia do seu aniversário.  Carol sabe ouvir, mas sabe falar como ninguém também.
Carolina não mede esforços. Se ela quer: ela tem! E isso é sério. Às vezes ela consegue umas coisas que eu mesmo já tentei um milhão de vezes e não consegui. Mas isso é só quando ela quer. Quando ela não quer uma coisa, faz até você desistir!
Ela me irrita 8 horas por dia. Carol é quase igual a Miranda daquele filme ‘O diabo veste Prada’, a única diferença é que Carol vive rindo, sério, vive rindo mesmo. O suco preferido dela era o de manga antiontem, caju ontem e hoje foi o de laranja. O café dela não precisa ser adoçado.
E não tente comer brigadeiro perto dela e nem criticar uma pessoa que ela gosta muito.

Por: Matheus Lins

 

 

A minha primeira impressão da Carol foi a óbvia: “que menina nojenta”, pensei.
Uma roda de amigos em comum, conversa vai conversa vem,  quando vi já estávamos trocando dicas de maquiagem no banheiro feminino.  Esse negócio de “a primeira impressão é a que fica” com ela não tem vez.
Ela tem cara de nojenta, jeito de marrenta, voz de patricinha, mas depois de quinze minutos você descobre que ela é bem mais divertida do que você imaginava.
Carol topa tudo. E quando eu digo tudo, eu digo tudo mesmo! Já foi comigo em aniversário de 90 anos da avó de um ex namorado até loja de conveniência na madrugada pra comprar picolé. Bora Carol? Bora!
Veneno de cobra pra ela é drink, e ela bebe de canudinho. As pessoas podem desejar mal, falar mal, fazer mal, que nada pega nela. Ela chora, respira, e pronto, esquece.
Se tem uma coisa que ela faz bem é esquecer. Esquece chave, esquece documentos, esquece o que ia falar, esquece de tudo. E vou te dar uma dica: esquece de todos quando convém.
Mas se tem uma coisa que ela faz melhor ainda é lembrar. Sempre lembra de deixar um sinal de amor espalhado por aí… uma mensagenzinha bonitinha, um bilhetinho, um telefonema pra perguntar como você está.
Tem os melhores conselhos pra dar, mas nunca segue.
Ela prefere se arrepender, se decepcionar, quebrar a cara, do que sentir a culpa de não ter tentado. Então ela se joga em tudo. Intensa! É tudo ou nada. Se ela gosta de você, gosta mesmo, e faz de tudo por você. Mas se ela não gosta, lamento muito, mas nem seu nome ela lembra.
Agradeço todos os dias por ter você na minha vida, monstra! Que sorte a minha encontrar alguém que quando sorri me faz querer sorrir também.

Por: Thais P. Souza 

1 Comment

  • Reply Mia 12 de junho de 2015 at 1:44 PM

    Carol entrou na minha vida por acaso, coisas de orkut.
    Aos poucos foi se tornando a minha pequena, aquela que no primeiro momento vc acha que deve ser toda indefesa, delicada… não se engane, essa mulher é uma gigante, gigante e batalha por tudo que deseja!
    Não há mal que atinja, porque sua luz é tao forte que nada lhe faz mal.
    Assim como eu adora um “jogo do contente”, afinal, nessa vida se nós não olharmos o lado bom da coisa perderemos tempo com o que não é importante!
    Coragem em sua vida não falta, coragem essa que eu acho que não teria… se precisar começar do zero ela vai e faz!!!
    Não tenho críticas… apenas elogios!
    ahhhhh, tenho uma critica sim… #podiamorarpertinhodemim
    rs.