Senta aqui, a gente precisa conversar.

4 de janeiro de 2017

Pra começo de conversa: desculpa!
Eu sei que sumi, eu sei mesmo, e peço milhares de desculpas por isso. E é por isso que resolvi fazer esse post de desabafo!
Mas é que, ninguém conta a vocês que a “blogosfera” não é um lugarzinho perfeito onde tudo é só maravilhas. Eu sei que o que a gente vê de blogueiras por aí é só fotos felizes, presentes, coisas lindas, mas nem tudo são flores.
A gente tem problemas, milhares deles.
Existem marcas que humilham blogueiras pequenas. É sério! Marcas que pedem para você roubar sorteios para favorecer pessoas que elas querem, marcas que te humilham por você não concordar com o que eles querem e alegam que “você é pequena demais para escolher”, marcas que te enviam um bombomzinho e querem exigir uma divulgação enorme desvalorizando  o seu trabalho, marcas que quando você se apresenta dizendo ser blogueira jogam uma amostrinha para você e viram as costas.
Eu já presenciei diretor de marca contar histórias dizendo que uma mulher descobriu que o marido a traía, e pintou o cabelo de loiro igual a amante do marido, e chegando em casa o marido disse que não aceitava ela ter cabelo de prostituta. E sabe o pior? Eu presenciei isso e no final da palestra dele (que por sinal teve vários momentos preconceituosos como esse) as pessoas aplaudiram, sabe porque? Porque ele era diretor de uma marca grande.
Existem blogueiras que são péssimas colegas de profissão, blogueiras que se vendem por uma bala, blogueiras “maria presskit”, blogueiras que desvalorizam a classe, blogueiras falsas, blogueiras que fingem ser sua amiga e quando você diz que vai fazer uma postagem sobre tal coisa ela vai lá e rouba a sua idéia, blogueiras que tiram fotos juntas exibindo mil amores mas depois não olham uma na cara da outra, blogueiras que são puxa saco uma das outras só porque tem algo a oferecer. Existem blogueiras que criam fakes para comentar nas fotos das outras falando mal. É concorrência pesada, olho por olho, dente por dente.
Existem críticas pesadas, pesadíssimas por sinal, leitores que reclamam da cor do seu sapato, leitores que não gostam da cor do seu cabelo, leitores que te xingam, emails e mais emails criticando cada detalhe, comentários ofensivos. Tudo isso existe, e muito mais!
E existe a vida fora da blogosfera. As contas para pagar, a família, os sonhos, a falta de tempo, o trabalho, a luta diária.
Eu sumi por um acúmulo de coisas enorme. Eu sumi porque precisava de um tempo. Eu sumi porque precisava lembrar do que eu era. Eu sumi porque me desmotivei.
Produzir conteúdo dá trabalho, todo mundo sabe, mas muito mais do que isso: produzir conteúdo exige mais da nossa cabeça do que o trabalho em si. Exige criatividade, exige pensar além, sair da caixinha, procurar diferenciais, ir além, oferecer o máximo que puder. E essa cobrança interna é pesada.
Juntando tudo isso e mais um milhão de problemas pessoais, a depressão bateu na minha porta, e eu abri.
Foram dias difíceis, dias que faltaram fé e coragem, dias que pensei em desistir sim e pensei muito.
A gente precisa conversar sobre depressão. A gente precisa entender de uma vez por todas que depressão não é “coisa da nossa cabeça”, frescura, comodismo. Depressão é algo que precisa ser tratado, é uma luta, e o janeiro branco está ai para conscientizarmos uns aos outros. O janeiro branco é uma campanha dos psicólogos de todo o Brasil para divulgar a importância de cuidar da saúde mental e tentar diminuir um pouco do preconceito em relação a tudo o que envolve isso. Às vezes a pessoa que está ai, do seu ladinho, está passando por momentos difíceis e você nem sabe, nem dá atenção. Às vezes essa pessoa é você!
Então procurem saber mais sobre a campanha “janeiro branco”, procurem saber mais sobre depressão, sobre doenças da mente, e principalmente: procurem se importar mais com as pessoas ao seu lado, não deixe que elas se afastem sem razão, “todo mundo está vivendo uma luta diária, seja gentil”.
Eu peço mil desculpas por ter sumido por tanto tempo, por ter deixado me abalar, mas olha… eu sou de carne e osso! Dias melhores virão! E eu voltei porque quero aproveitar cada um desses dias com vocês!
Porque embora existam marcas cruéis, existem marcas que valorizam e fazem a gente crescer. Embora existam blogueiras safadas, existem blogueiras que te estendem a mão e te ajudam no que preciso for. Embora existam leitores ingratos, existem mensagens consoladoras e leitores fiéis. Eu voltei porque encontrei forças.
Voltei porque a vida não pode parar.
Pra tristeza das inimigas: MEU AMOR EU VOLTEI!

ps: estava com saudades

You Might Also Like

1 Comment

  • Reply DANIELA LIMA 12 de janeiro de 2017 at 2:06 PM

    Oi, adorei o post e super concordo. Tem uma blogueira que ajudei bastante, mas como ela tem dinheiro p fazer mil coisas com o blog hj ela está bombando e nem lembra d mim rsrs.
    A blogosfera não é fácil. Beijos.

  • Comente:

    %d blogueiros gostam disto: